Fique ligado às doenças de verão

Com a chegada do verão, alguns cuidados devem ser tomados para que doenças que costumam ser frequentes nesta época do ano sejam evitadas.
A dengue, por exemplo, aumenta sua transmissão no verão, pois, como as chuvas são mais frequentes neste período, devemos tomar cuidado redobrado com qualquer recipiente que possa acumular água, pois ele pode se tornar um lugar favorável para a reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Além disso, ao apresentar sintomas como febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores pelo corpo e náuseas, a pessoa deve procurar imediatamente orientação médica e não se automedicar.
Outras doenças muito comuns nessa época do ano são a insolação e a desidratação, que podem ser ocasionadas pela exposição excessiva ao sol e ao tempo quente. A recomendação é beber ao menos dois litros de água por dia, aplicar o protetor solar no mínimo 30 minutos antes de se expor ao calor, usar chapéus, óculos de sol e roupas leves e evitar as horas com maior concentração solar (entre 11h e 16h).
A intoxicação alimentar também é bem rotineira nesse período. As temperaturas altas do são um dos principais fatores que ocasionam a intoxicação alimentar e hídrica – causadas, respectivamente, pelo consumo de comida e água contaminadas. Os sintomas podem ser diarréia, febre, náuseas e vômitos. A cólera também é transmitida, principalmente, pela ingestão de água ou alimentos contaminados por fezes ou vômitos de um doente ou por moscas e outros insetos. Para evitar a ocorrência de doenças como essas, é necessário estar sempre atento à segurança, qualidade e conservação dos alimentos.

Febre Amarela
Já a febre amarela pode ser transmitida em qualquer época do ano. No período de férias, é importante saber se a cidade de destino do viajante recomenda a vacina contra a doença, que deve ser tomada dez dias antes da viagem. A febre amarela é transmitida, normalmente, pela picada do mosquito infectado Haemagogus janthinomys e pode levar à morte. A vacina é a principal forma de prevenção e é recomendada para todos acima dos nove meses de idade.

Fonte: Ministério da Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *