Verão: saiba quais são os maiores perigos da estação e como se prevenir

Hoje inicia a estação mais colorida, animada e quente do ano: o verão. E ninguém quer ficar doente e perder os dias de diversão, não é mesmo?

Apesar de os problemas de saúde serem mais associados ao inverno, o clima quente, intercalado com dias de muita chuva, deixa o organismo fragilizado e aumenta os riscos de contrair doenças. Por isso, saiba quais são os perigos do verão e como aproveitar o calor longe deles.

Desidratação

O calor provoca o aumento da transpiração e, consequentemente, a perda excessiva de líquidos e sais minerais. A quantidade normal de água que perdemos por dia é 2,5 litros; quando esse limite é ultrapassado, inicia o quadro de desidratação.
Os principais sintomas desse problema são fraqueza, tontura, dor de cabeça e ressecamento dos olhos e da boca. Pessoas desidratadas também podem se tornar letárgicas e irritáveis.
A forma de prevenção mais eficaz é o consumo de muito líquido e de alimentos frescos e leves, principalmente frutas, vegetais, sopas e iogurtes, que são ricos em água.

Gripe de verão

Gripe só acontece no inverno? Errado. Além de rinites e sinusites, a gripe também pode aparecer na estação mais quente do ano. O principal motivo é o choque térmico que acontece quando saímos do mar ou da piscina de água gelada diretamente para o sol ou quando trocamos bruscamente um ambiente quente por outro com ar-condicionado em baixa temperatura.
Além de atrapalhar o aproveitamento dos dias ao ar livre, a gripe costuma ser mais rígida no verão, com febre que dura dias e tosse que se prolonga por semanas, tudo isso com dor muscular, de cabeça e de garganta.
O segredo para se prevenir é manter uma alimentação saudável, com ingredientes ricos em vitamina C, beber bastante água e lavar as mãos com frequência, pois isso evita o contágio com o vírus. E, claro, se notar o início de algum sintoma, procure um médico.

Insolação

Tudo em excesso faz mal. A exposição direta ao sol, por exemplo, pode causar problemas sérios, como a insolação. Essa permanência longa em ambiente quente e seco provoca um distúrbio no mecanismo de controle da temperatura corporal, ocasionando mal-estar, fraqueza, febre alta, falta de ar, batimentos cardíacos acelerados, tonturas e queimaduras na pele.
Para prevenir, além de beber muita água, a dica é um clichê, mas muito importante: evite ficar exposto ao sol das 10h às 16h e use sempre filtro solar.

Conjuntivite

Nada melhor para amenizar o calor do que um mergulho no mar ou na piscina. Porém, ali pode ser um local de transmissão da conjuntivite bacteriana. A doença, que se manifesta através do inchaço e da vermelhidão dos olhos, que ficam “colados” por causa de secreção, é comum no verão e os cuidados para evitar a contaminação são essenciais: evite mergulhar e abrir os olhos, não compartilhe toalhas, não coce os olhos e evite contato direto com pessoas que estão com a doença.

Otites externas

Além do cuidado com os olhos, é preciso estar atento aos seus ouvidos quando estiver no mar ou na piscina. A otite externa é uma infecção na pele do canal do ouvido e é muito comum no verão. Ela se manifesta quando a água com bactérias fica acumulada no ouvido e penetra na pele da cavidade auricular.
Os principais sintomas da otite são: dores no ouvido, sensação de entupimento e secreção na cavidade auricular. Se você notar algum deles, procure um médico e evite higienizar com hastes flexíveis, pois isso pode provocar feridas e piorar a infecção.
Para evitar otites, balance a cabeça ao sair da água e seque bem os ouvidos com uma toalha, tomando cuidado para não chegar no fundo da cavidade auricular.

Intoxicação alimentar

O consumo de alimentos que foram conservados de forma inadequada ou de procedência duvidosa, como é o caso de algumas opções de alimentação nas praias, pode acabar resultando em intoxicação alimentar. O organismo reage à ingestão de comidas contaminadas e provoca náuseas, vômitos, diarreia e febre, podendo evoluir para desidratação.
É muito importante saber a origem dos alimentos que você ingere e mantê-los em ambientes próprios para sua conservação. Se ficar com dúvida antes de consumir, não arrisque e procure outra opção.

Problemas de pele

Como a pele fica mais exposta ao calor e ao sol no verão, é comum que ela seja invadida por micoses, brotoejas e manchas brancas. A dica para evitar esses sinais é simples: use sempre filtro solar, escolha roupas e calçados leves e seque bem o seu corpo após o banho.
Esses tipos de lesões não evoluem para o câncer de pele, mas lembre-se: se notar qualquer tipo de pinta, mancha ou cicatriz que evolui e dura semanas, desconfie e procure um médico, pois pode ser algo mais sério. Nós já falamos sobre o câncer de pele no blog, e você pode ver mais informações para se prevenir contra ele.

Verão é época de se divertir e aproveitar os dias quentes. Não deixe nenhum vírus ou bactéria, muito menos o sol, atrapalhar a sua diversão.
Cuide da sua saúde e não se preocupe, se precisar estamos aqui para oferecer o melhor diagnóstico para os seus sintomas. Afinal, ele é o primeiro passo para um tratamento eficaz, em qualquer estação do ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *